sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Osmose.

"ai ai se eu te pego, ai se eu te pego, delícia, delícia..."



O caralho dessa letra não sai da minha mente.
=/

A gente cresce.



Agora que somos adultos, a gente não pára de falar em trabalhar para conseguirmos uma boa grana pra viajar pelo Europa.
No cursinho, a gente só pensava em passar logo no vestibular... e nada mais. 
Mudamos, crescemos, amadurecemos, mas a nossa amizade nunca decresceu. 




Umbigos também servem para serem observados.

Esse papo de querer se desculpar e querer reconciliação só porque está chegando o fim do ano é MIADO , doido. A pessoa passa o ano inteiro (E POR VÁRIOS ANOS) cultivando mágoas no coração e machucando pessoas ao redor... aí, só porque chegou uma data de simbologia cristã, a pessoa quer falar coisas bonitas de clichê, abraçar e não sei mais o que.   ¬¬
Atitude individualista esta, pois ainda faz com o intuito de que irá ficar bem consigo mesma na "resolução de alguma dívida"?
Faça-me o favor, né?! Não venha me falar de perdão se tu mesmo não perdoa. Isso é atitude de cristão?
Como bem dia a Rita Lee " ...desconfio de quem fala muito em cristo..."
Demostrações de afeto e boas ações ao próximo, acredito que precisam acontecer durante o ano, sem data definida.

O.B.S 1 - Ora, mas também não estou dizendo que ninguém tem o direito de fazer isso. Cada um sabe de si, né?
O.B.S 2 - Só acho que as pessoas podem melhorar suas ações e desculpar-se o quanto antes depois de uma briga ou ofensa e não continuarem magoando terceiros e deixar para o fim do ano reconciliações babacas , aí destilam toda hipocrisia e fingimento de serem boazinhas, só porque está chegando o natal ou ano novo.
O.B.S 3 - Não sou perfeita, ou seja, faço merda pra caralho. Sou injusta, grossa, insensível, estúpida, e (não queiram me ver com raiva...).
Essa coisa que alastra no coração das pessoas ao fim do ano, eu não consigo me sensibilizar. Acho um tempo bem triste e chato.


segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Um grito.



Pára o tempo. 
Não! O tempo não pára. 

As luzes apagam, morrem velhos e crianças. Crescem os mais nutridos.
Cantam, caminham, lutam...
Corremos.
Coração desesperadamente grita.
Quero paz. Quero amar. Quero você.
Quero viver.
Quero ser eu.
Quero ser o rio Xingu vivo pra sempre.




sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Ufa!

Agora estou conseguindo respirar aliviada. Minhas aulas acabaram e estou PARCIALMENTE de férias. 
Pois é, consegui um outro emprego (além do Mais Educação- aqui perto de casa) pra ministrar aulas, pela noite para o EJA , em um colégio alí por trás da rodoviária. 
Aceitei e sei que ficarei desgastada, e até amarga com a vida. Mas preciso me formar e pra isso, minha pesquisa de tcc terá início agora nessa escola, com alunos que têm dificuldades de aprendizado, mas que querem estudar.
Daí os ajudarei com meu projeto de quadrinhos em sala de aula. Mostrarei como este gênero textual poderá auxiliá-los nas aulas. Será um trabalho divertido, eu espero.
Vou me meter na onda de cursinho pra concurso, semana que vem.
No mais, to meio cansada, com saudades de escrever por aqui e meio sem ânimo...
Nada como uma boa mesa de bar e uns bons amigos....

domingo, 18 de dezembro de 2011

Passando pra dizer um oi.

Oi?!

Gosto de comprovar minhas amizades assim... Depois de tantos anos, cada um com suas responsabilidades e afazeres, mas ainda temos tempo pra nos ver. 
E o que me deixa mais alegre é quando resolvem vir me visitar... e nem se importam com a minha cara amassada, minha roupa rasgada ou mesmo meu quarto uma bagunça só.
Só vieram pelo prazer da companhia.

Acho que as melhores amizades são essas que resistem com o tempo, às vezes com a distância ou com aquelas brigas que nem sempre são besteiras, mas basta haver amor de verdade, pra gente relevar e perceber que a nossa amizade é maior e sempre vale a pena continuar sermos o que sempre fomos. Sempre amigos!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Preciso desabafar.



Eu só peço mais compaixão para com os animais, mais amor... porque é amando eles que aprende-se a amar a vida!

sábado, 10 de dezembro de 2011

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Tédio!


"Alô!
Sabe esses dias em que horas dizem nada e você nem troca o pijama, preferia estar na cama. Um dia, a monotonia tomou conta de mim. É o tédio cortando os meus programas
Esperando o meu fim (...) 

Eu já tentei de tudo, mas não tenho remédio pra livrar-me desse tédio..."




Biquine Cavadão

A dança.


Espreme as mãos sobre a roupa, depois enfia os dedos pela virilha e chega até meus desejos e gemidos. Nossa dança e sorriso!
O palco era a cama de solteiro bagunçada e um travesseiro abaixo dos meus glúteos, que deixava ele mais à vontade, mais perverso com a cabeça enfiada entre minhas pernas, mais esfomeado da minha carne.
Debruçado em meu tronco a altura da boca, imobilizou-me com aquela língua abençoada abraçada que rodopiava com meu clitóris e que me levou não sei se ao céu ou se ao inferno distanciando minha alma do meu corpo.
Mãos hábeis agarravam minha anca pelos espasmos que me faziam fugir sem querer, enquanto deslizava a boca toda chupando e aplicando pequenas mordidinhas nos grandes lábios. Senti a saliva quente entranhando desde o prepúcio do clitóris, atravessando os lábios internos e externos, o orifício da uretra, a abertura da vagina, o períneo, invadindo o ânus.
No encaixe colado a mim, deslizava com a mão solta massageando meus seios, apertando minha barriga, e acariciando minha vagina, ao mesmo tempo em que roçava a barba em minha nuca ou lambia minhas orelhas. 
Voltava a deslizar pelo palco num vai e vem me apertando, me puxando até me fazer virar de costas, de quatro. Atracado, gemia , sorria, delirava... Deixava-me sobre nuvens.

Era o encanto para a dança nobre e que toda gente há de deleitar-se....
Alimento para toda carne, liquido para todo desejo, fonte de todo gozo, saúde de toda satisfação.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Quem me dera um dengo desses.


Eu sempre tive loucura por cachorro.  E o Dog Alemão sempre foi meu sonho.
Vivia pedindo pro papai noel, mas eu acho que ele sempre esqueceu de mim...

domingo, 4 de dezembro de 2011

Divulgando, galera! Todos na luta contra Belo monstro...

http://catarse.me/pt/projects/459-belo-monte-anuncio-de-uma-guerra

Maldição.

Os estúpidos comem as migalhas dos descendentes, brindam tragédias, fingem sentimentos, orgulham-se de seus semblantes em seus espelhos. Veneram deuses com medo de suas próprias ações. .
Exterminam entre si seus companheiros. E como se não bastasse atitude asquerosa, matam outras vidas com venenos lentos produzidos por si ou usam de sua força maldita.
Como urubus, vasculham a carne e saciam-se lambendo os bicos em cima da desgraça alheia. Coisa de brasileiro? Coisa de político? Não. Coisa de bicho homem. 
A mais frágil , mais falsa, mais nojenta das espécies, amaldiçoada por si própria. 
Falo por mim, falo de mim, da minha espécie... 



sábado, 3 de dezembro de 2011

Ideias ; criatividade; reaproveitamento.

As palavras chaves aí em cima vieram para titular a ideia minha e uma amiga , que resolvemos nos unir pra fazermos trabalhos artesanais (em breve venderemos), reaproveitando materiais que todo mundo joga fora. 
Para isso, precisaremos de doações. Assim, começo uma campanha para quem vier por aqui e quiser nos ajudar com materiais do tipo: papelão, garrafas pet, garrafas de vidro, jornais, revistas, etc.
É só postar e dizer que quer ajudar e assim vamos marcar em algum lugar e vocês me entregam.


[Tomara que dê certo.] 

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Por você...

Foto da net.

Por você
Eu dançaria tango no teto
Eu limparia
Os trilhos do metrô
Eu iria a pé
Do Rio à Salvador
Eu aceitaria
A vida como ela é
Viajaria a prazo
Pro inferno
Eu tomaria banho gelado
No inverno
Por você!
Eu deixaria de beber
Por você!
Eu ficaria rico num mês
Eu dormiria de meia
Prá virar burguês
Eu mudaria
Até o meu nome
Eu viveria
Em greve de fome
Desejaria todo o dia
A mesma mulher
Por você! Por você!
Por você! Por você!
Por você!
Conseguiria até ficar alegre
Pintaria todo o céu
De vermelho
Eu teria mais herdeiros
Que um coelho
Eu aceitaria
A vida como ela é
Viajaria à prazo
Pro inferno
Eu tomaria banho gelado
No inverno
Eu mudaria
Até o meu nome
Eu viveria
Em greve de fome
Desejaria todo o dia
A mesma mulher
Por você! Por você!
Por você! Por você!
Eu mudaria
Até o meu nome
Eu viveria
Em greve de fome
Desejaria todo o dia
A mesma mulher
Por você!

Barão Vermelho

Coisas pequenas tão valiosas que caibam em qualquer lugar.

Que roupa de griff que nada. Sou dessas que caçam brechós pelos bairros de qualquer cidade e  ainda fico dando pulos de alegria quando encontro  aquele corcelet de renda antiga ou aquela bota de cano longo preta por 5 dinheiros, sabe?! Eu faço a festa em sebo com 10 recos no bolso. Gosto de pesquisar e pechinchar...
Amo pão de alho, café preto, cachaça e poesia. Sou dos botecos, das conversas em bancos de praça, das calçadas. Hora até sou das letras, hora também das sarjetas. (Sei conciliar isso, pelo menos.) Hehehe.
Eu sou de onde me convém , de onde me tratam bem, de onde me sinto bem. De um tempo passado , presente e até um futuro, quem sabe, próximo.
Sou da terra seca, da lama, do mato, do asfalto, das chuvas, daqui, dalí...
Por onde me derem abrigo. Mas também sei dar abrigo no meu coração.



[Ei dezembro, me dá colo ?!]

Uns riscos a mais pra melhorar a vida, hein?!

http://blogroqueestrella.wordpress.com/2011/11/23/a-verdadeira-arte-na-pele/

Lindas!
*_______*

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Ai, eu quero logo que esse tempo passe.

Ultimamente eu tenho estado muito apreensiva com esse fim de semestre. Eu não estou conseguindo conciliar trabalhos, vida social, vida sentimental. Tá uma bagunça só aqui na minha cabeça, no meu quarto ( esse, não é novidade), mas a questão é que agora parece que tudo resolver se emboletar . Sabe o novelo de linha, quando resolve se desfazer e tu vais tentar enrolar a linha de novo e de repente tu percebes que quem é o rolo da linha agora és tu?! Pois é...
Eu tô com a vida toda embolada. Toda embaraçada, faltando desatar alguns nós que estão engatados na garganta. Mas a merda é que em alguns desses nós, não depende só de mim pra se desfazerem. E isso tá me deixando mais pra baixo ainda.
Aí pra piorar mais, eu não estou conseguindo dormir direito, porque tenho tido alguns sonhos ruins e que estão me impressionando muito, e isso tem me deixado com medo de dormir.
Minha gastrite só têm me deixado na pior e sem fome. O meu humor tá cada dia um nojo.
Esse clima de natal me entristece mais ainda e eu não tenho tido ânimo pra mais nada nessa vida.
Tô vegetando...
=/

Pode ser tpm ou simplesmente cansaço excessivo das pessoas.



Às vezes, me falta tolerância pra lhe dar com seres da mesma espécie, mas daí eu procuro outras espécies e a tolerância volta.

domingo, 27 de novembro de 2011

Rascunhado em uma folha suja.

"Eu não vou fazer a mesma coisa que estás fazendo por aí: falando mal de mim, dizendo que eu nunca fui sua amiga e que estás feliz por ter cortado relações comigo.
Só eu e você sabemos o quanto estás errada. (Ou talvez só eu mesma saiba, não é?!) Já que não tentas ao menos me escutar ou tentar te pôr ao meu lugar.
Vamos analisar os nossos e os umbigos dos outros. Vamos olhar para os lados e buscar maneiras de resolver nossas dores. Por mim, tudo bem irmos a qualquer e conversarmos sobre nós, sobre o céu, sobre a vida. Peço-te uma chance pra mim, pra nós.
Não me lembro bem como entraste na minha vida. E também não entendi , como saístes dela. Mas não quero que seja pra sempre esse vácuo.

Alguém já dizia que amigos não te fazem sorrir com mentiras e sim te fazem chorar com verdades.
Tente refletir e veja no que estás errada ( se achares que estás.) Mas o fato é que precisamos conversar."


Um beijo pra ti, preta.

Oi domingo?

    • Amanheceu um dia chato: sol, muita claridade e dor de cabeça. E uma vontade BRUTAL de me mandar pra qualquer lugar...

    • Olha, qualquer planeta, qualquer terra invisível, qualquer praia deserta já serve.


    Sabe aqueles dias que tu cansas de todo mundo e que qualquer outro lugar longe das coisas rotineiras vão te fazer bem?!

  • Pois é, eu só quero dar um tempo das pessoas,

  • das coisas.

    Quero sumir um tempo!

    Domingo, me ajuda a evaporar?

Lembrança viva.


Foi em uma noite solitária em alguma festa que trazia consigo: saudade, anseios, fome, poucas palavras e fartura em contatos.

Cenário: banheiro.

- Oi.

- Oi. Me dá um cigarro?

- Claro.

- Obrigada. Tchau.

- Já vais? Por quê?

- Sim. Tá chato aqui.

- Poxa. Me dá teu email?

- Me dá um abraço?

Seduziu-me até o chuveiro com o corpo despido de roupa, porém vestido de ambições serviçais para mim. Tinha um odor forte de magnetizar minha mente e um calor de incendiar meus instintos e me postar em qualquer posição.

Possuidor de braços fortes, mãos ágeis e ambiciosas, pele dourada com cheiro excitante, dentes suaves, violentos e salvadores. Boca molhada e suculenta. Tinha cerdas perigosas naquela língua. Chupava e me lambia, me fez sangrar e até venerar. Tronco longo e definido em encanto, tinha alguns pêlos pelo corpo que muito se esfregavam no meu. Pernas sadias que me aguentavam longe do chão.

Atrás da porta de Angelim, atracou com desespero seu corpo no meu. Permaneci imóvel enquanto me engolia com o olhar, saboreava-se com meus seios e me explorava com seus dedos. Ninguém nunca me comeu tão bem, quanto aquele macho sedento de sexo. Conheci o melhor beijo na vagina e nada mais no mundo , haveria em ferir-me de tal beleza. Extraiu com prazer trasbordado em seu semblante, todo o suco que jorrava da vagina.

Agarrado na anca, me fez ter espasmos como quem morre com chupões. Era um faminto de muitos dias que saciava-se vorazmente de minha carne por horas. Me fez agonizar de prazer com aquela língua de lâminas profissionais que passeou entre meu ponto G , apreciou meu clitóris ereto e todas as minhas passagens sem fim.

Encaixada na parede, fincou-me o pênis que encheu de alegria meus ovários. E no vai e vem escorregadio , bondoso e ligeiro me fez derramar de suor, urina e gozo.

Amei incessantemente aquela noite e aquele sujeito. Mas perdi seu email e seu telefone.Uma pena. Eu queria provar daquela boca, outra vez.




[Retrato surrupiado da net.]

sábado, 26 de novembro de 2011

Perdão e licença.

Mas voltarei a postar com mais frequência e com mais gosto de ser o que eu sou ou ao menos do que tento ser, com as coisas que eu penso e gosto, por aqui...



sábado, 19 de novembro de 2011

Naqueles dias...

Final de semestre é uma booooosta beeeeem fedorenta. (Perdão , mas eu usei um eufemismo pra suavizar todo o inferno que está a minha vida acadêmica.)
Os professores acham que a gente não tem outras coisas pra fazermos e muito menos pensam nas disciplinas uns dos outros, e que nem sempre consegue-se conciliar as disciplinas e as toneladas de apostilas pra lermos. Mas sei que não posso culpar somente a universidade por isso.
Sei também, que arte em culpa é minha porque simplesmente NÃO SOU NENHUM POUCO ORGANIZADA.
Gente, isso é uma merda! O pior é que eu sempre fui assim e não tenho a mínima ideia de como fazer isso. Confesso que já tentei, mas me perco toda vez... ai tristeza!

Oi, estresse total?!


quarta-feira, 16 de novembro de 2011

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Perfeita interpretação de uma backtiniana sobre o cu.

O CU É O POVO.

O CU É A DOR.

O CU É UMA RESPOSTA

RESPONSÍVEL E RESPONSÁVEL.

DAR O CU É DAR A SUA CAPACIDADE DE RESISTÊNCIA,

É DAR A SUA ESPERANÇA,

É DAR E NÃO GANHAR,

É PERMANECER VAZIO,

FAZENDO A VONTADE DO OUTRO

QUE O CONDUZ COM SEU CAJADO

DE OURO E PRATA.

POR SER CU POR OPÇÃO SOCIAL E POLÍTICA,

DIGO QUE É FÁCIL DAR O CU,

MAS NÃO É FÁCIL SER CU

NUM MUNDO DE CARAS E BOCAS.


É NECESSSÁRIO RESPONDER.

O CU TEM OLHO E BOCA

AS BOCAS GRITAM

ENQUANTO QUE O CU CALA.

O CU PRECISA TOMAR O LUGAR DA BOCA,

PRECISA JOGAR MERDA NO VENTILADOR

E EMPESTEAR O MUNDO DE ÉTICA,

DE MERDÉTICA,

DIFERENTE DA ÉTICA JORNALÍSTICA,

DA ÉTICA RELIGIOSA, DA ÉTICA ADMINISTRATIVA, DA ÉTICA GOVERNAMENTAL, DA ÉTICA ELEGANTEMENTE FALADA E NÃO VIVIDA.

O CU PRECISA SER RESPOSTA

O CU PRECISA ESPALHAR MERDÉTICA

PELA HUMANIDADE

QUE TREME DE FRIO,

MORRE EM FILAS DE ATENDIMENTO DE SAÚDE,

MORA EM CIMA DA LAMA E DA VALA,

COME QUASE NADA,

LÊ COISA ALGUMA;

É DOENTE,

É MISERÁVEL,

É MUDA.


Profª Drª Rosa Brasil

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Tô sem tempero.

Hoje eu não estou pra hoje. Nem pra ontem e nem pra amanhã.
Hoje eu sou outra. Outra esquina, outro lado, outra menina.
Amarga, azeda e sem pimenta.
De outro mundo.
Lá!

E esses tesouros na minha cama?


Rei e rainha do meu quarto!



Oxiii , quéeeeeéeeedo mãe...

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Ei Brasil!

"Tá faltando homem que assuma seus afetos, homem que se apaixone. E que se dane o que os outros pensem ou que a sociedade aplauda ou condene. Tá faltando homem, que agüente as conseqüências de seus desejos e que defenda as razões de seu coração. Tá faltando homem."


Pedro Bial

Trabalho:

Seminário sobre " a poética de Chico Buarque".

Isso não é trabalho. É um prazer...

*______*

domingo, 6 de novembro de 2011

Mal do consumidor,

... é nunca saber dos seus direitos!

Tirei meu filho preto que estava pendurado na parede.

Criei coragem e tirei a poeira do meu michael, preto de cordas de nylon, que estava pendurado na parede do meu quarto e pedi pra ele, em meus braços alegrar e me fazer companhia nessa tarde de domingo. É que, como diz meu amigo Sodré: "quem sabe tocar algum instrumento, nunca estará só."

Eu tenho um violão que minha mão em deu nos meus 18 anos, mas eu nunca tive muito saco pra ficar treinando nele, [por isso que eu nunca aprendi de fato a manuseá-lo.] Sou besta, mesmo!

Hoje, tive uma lembrança muito forte da Amanda, e de alguma forma , isso me estimulou a pegá-lo e 'arranhar' uma música que me lembra muito ela. É que vai ter uma homenagem, na uepa de Vigia, e o espaço inaugurado como espaço de convivência será nomeado de Amanda. Daí , serão feitos vários vídeos com depoimentos em homenagem a ela.

Agora to aqui com ele, na nossa solidão treinando "Gostava tanto de você" do Tim Maia. Quero tocar bem bonito pra homenagem a ela.

=]



Post Scriptum: Alguém pra me ajudar na afinação do Michel?





sábado, 5 de novembro de 2011

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Luz.

Hoje, eu nem estava enxergando poesia, aí veio alguém cheio de versos e iluminou meu dia.

Transplante.

"O quer fazer se a noite cair no chão,
se as borboletas nadarem de costas
ou se a visita não gostar de refrigerante?
O que pintar se a Arte é o quadro e não a parede,
se os lápis cabem nas latas de spray,
se as cores do sangue são verde e amarelo?
  • Como esperar, se o vazio é desesperador?

  • Onde dormir, se o sono não vem?

  • Por que, se eu der corda pra trás nos relógios, eles só quebrarão?

  • O alerta pra cair fora vem de dentro

    Dói dizer pela convicção
    Mas dor de ouvido dói mais
    Não se ouve nada,
    os carros andam sobre a calçada
    As casas param pra ver
    quem passa na rua feito multidão
    porque não se percebe só

    • Não adianta anunciar em outdoors

    • O que fazer se a noite cair no chão?

    • O que fazer se as borboletas nadarem de costas?

    • O que fazer se a visita não gostar de refrigerante?

    • O que pintar se a Arte é o quadro e não a parede?

    • O que pintar se os lápis cabem nas latas de spray?

      • O que pintar se as cores do sangue são verde e amarelo?

      • Como esperar, se o vazio é desesperador?

      • Onde dormir se o sono não vem?

      • Como esperar, se o vazio é desesperador?"


        André Coruja.


        *_________*



Aí o vídeo:

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Mas...

Eu só queria ser mais organizadinha...

Tenho 2 artigos pra fazer, um pré-projeto de tcc, plano de aula e um seminário.
E eu não consigo fazer nada.
Só porque eu não funciono sob pressão, saca?!

Pois é...
=[

[Não quero mais ficar perdida no meu quarto, nem nos meus papéis.]

Frase.

Escrever é dissecar a noite e tecer o dia.




*.*

Quero aprender fazer isso pro resto da minha vida!

Chegou o contrato do Berçário.

Email:

"Comunicamos que o seu conto foi selecionado para o segundo livro do Projeto Berçário 2011 da Editora Faces. Agora, entraremos em contato com você para assinatura do contrato. É necessário enviar os seus dados para a assinatura do contrato (nome completo, endereço completo, telefone, profissão). Precisamos também que você nos envie dados para a biografia que será publicada no livro.
Os dados para a Bio do livro são:
1- Onde nasceu.

2- Qtos anos você tinha qdo escreveu o conto.

3- Nome que vai usar como escritor.

4- Uma frase sobre o ato de escrever. (O que é escrever pra você?)

5- Profissão atual, se tiver. Ou, se é estudante; qual período está, e qual faculdade cursa, e qual Universidade.

Parabéns, esperamos que esse seja um marco para que você escreva outros contos, outros livros.

Aguardamos os seus dados o mais breve possível.

Coordenação do Projeto"







Aiiiiii, tô tão feliz. XD

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Flor.


Eu nunca entendi como as pessoas podem ir embora das nossas vidas e viverem eternamente em nossos corações.
Talvez, maior que o amor de estar ao lado, só a saudade de quem sempre amou e as lembranças infinitas e eternas.

Quem sabe...

Ái que vontade brutal de dredar meus cabelos.

*.*



Quarta-feira, feriado, chuva, friozinho e Titanic na tv.

Quando o vi, em outros tempos,
já me emocionei mais,
já o amei mais,
já sorri mais...

Hoje, não passa de imagens, pouco tocantes...

Agora pronto.

Agora que eu dei de ouvir : "Eu te quero,"

não deixo de querer...

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Pois é.

"Falar é completamente fácil,
quando se têm palavras em mente
que expressem sua opinião.

Difícil é expressar por gestos e atitudes
o que realmente queremos dizer,
o quanto queremos dizer,
antes que a pessoa se vá."


(Carlos Drummond de Andrade)

São meus gritos.

A boca cala, mas a mente e o coração não param de gritar.

Chegado novembro.

Neutro.
Branco.
Paz.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Nós.

Vem e vai
Vai e volta.

Ele vem e eu fico.
Eu abro e ele entra.
Ele chupa e eu suspiro.
Eu apalpo e ele fala.
Eu mordo e ele lambe.
Ele aperta e eu arranho.
Ele em cima e eu em baixo.
Eu sou curva e ele ereção.
Ele deseja e eu realizo.
Ele mastiga e eu engulo.
Eu quero e ele faz.
Ele fode e eu vasculho.

Entra e fica
Fica e sai.

Ele goza e eu também.

Oi tcc?



o.O

Não temer abraços, amores, amizades...



Só quando a gente quer de verdade!

domingo, 30 de outubro de 2011

Altamira; Xingu; Luta.

[Eu, no meu desleixo neste blog, terminei de escrever o post hoje.]

Pois é, cheguei de Altamira , sexta-feira dia 28 e estou com todo gás para lutar...
Sabe quando as cobras mudam de pele, as cigarras trocam de 'corpo' ou as aranhas mudam suas 'roupas' (exoesqueletos)?! Pois é, vim em mudança de pele, de forma que aumentou minha fome para guerrear contra este 'câncer' cultural, social, ambiental e político. Estruturei minha mente pra me fortalecer e buscar armas exatas e suficientes, e em grupo batermos de frente com esta usina. E ainda, uma visão esclarecida de estamos entrando pra briga de cachorro grande. Mas sei que se todos nós, que somos contra Belo monte, ao nos juntarmos para esta luta, certamente venceremos!
Senti um aperto tão grande no peito ao ver o rio xingu. Imensidão de água transparente, gelada e perdida em uma vitalidade calma, tão inocente e tão natural alí, na minha frente. Confesso que tive medo, mas tive também orgulho de ter ido e ter sentido de perto a energia viva e tão presente que ronda aquele lugar.
Gente, que coisa linda. Tão limpo , tão grande, tão cheio de vida e que poderia secar com essa hidrelétrica, destruindo sem piedade os milhares de seres dalí.

Foram momentos tensos, difíceis, interessantíssimos e ricos de informações no contato com as tribos indígenas e demais movimentos, na luta contra essa doença.
Ocupamos o canteiro de obras por um dia inteiro. Lá, vimos o sol nascer e vimos o sol se pôr com a única vontade de salvar vidas. Fechamos a transamazônica e provocamos o caos na rodovia.
Todos estávamos armados de vontade para salvar o rio xingu.
Agora aqui, começa uma preparação para divulgar os males deste câncer e uma corrida contra o tempo para exterminá-la.

sábado, 22 de outubro de 2011

Um beijo!

Só preciso da barraca, alguns macarrões instantâneos, um fósforo, uma panela, alguns trajes pra ir pra Altamira (poucos) e muito ânimo!
Beijos...




Post Scriptum:

[De bolso: uma catuaba, afrin, um dorflex E O MEU SORRISO, claro!]

Não quero mais ligações pela madrugada!

Eu tenho muito medo quando meu celular toca na madrugada. Não é frescura, mas só pelo motivo de que as notícias ruins, para mim, têm vindo sempre nestas horas. Exceto alguns momentos, que pessoas estão MUITO porres e resolvem ouvir minha voz... (Não é pelo fato de estar porre, mas é que , só de ver o telefone tocar, fico muito nervosa e assustada.) Mas, fora estes horários impróprios, atendo normalmente qualquer outro horário e qualquer pessoa.
Eu até vejo tocar, mas não tenho coragem de atender.
Acho que as pessoas deveriam ter mais respeito quanto ao nosso estado emocional quando for brincar ou de fato notificar algo ruim.

Eu criei um medo ENORME e não consigo mais atender o telefone nestas horas. O que custa
esperar o dia amanhecer, hein?

Pois é, não tentem mais ligar nestes horários impróprios. A partir de agora, vou desligar o celular.

Bom dia!



sexta-feira, 21 de outubro de 2011

O monstro.

É o bicho que mora dentro de mim.
E tá abrindo um buraco beeeeeeem grande aqui no meu estômago. Só pode!




Áinnn!


=/

Hein?

..."E hoje em dia, como é que se diz 'Eu te amo'? "








À cada decepção , essa dúvida!

Seguidores