segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Beijos e até logo.

Via Jaime Wilbert  - Facebook.

Pausa pra aquela música fúnebre dos"momentos de tensão". 

Tô oficializando uma parada significativa, não tão breve , por aqui por este blog. Já até pensei em bloquear a página por um tempo , pra ficar fora do ar mesmo, (assim evitamos transtornos), mas acho que iriam pensar que eu tivesse morrido. E isso ainda não. Então resolvi informá-los somente, sobre o meu profundo desespero...
Estou em reta final para tentar sair da universidade e me transformar de futuro da nação para mais um problema social e somar-me ao desemprego.
Eis que esse estresse todo já me faz sentir as contrações uterinas de um filho que eu ainda nem terminei de gerar mas que já tá afim de sair do word no pc para a realidade do papel e ser bem apresentado ao mundo.
Pois é , meu orientador pediu pra sermos mais rápidos, evitarmos maiores perturbações e nos livrarmos logo dessas dores de cabeça. Aí me deu o prazo para o final do mês de dezembro pro filho estar todo prontinho pra ser "parido". E eu acatei a proposta, fazer o quê , né?!
O papo é que eu preciso me enterrar em um buraco fundo , confinar-me ( ficar sem internet, sem bebida, sem besteiras, sem devaneios, sem choro , nem vela) pra terminar este tcc, queridos. 

Agora, sem perda de tempo.  
Ausência justificada!

Beijo no queixo.

Post Scriptum: (Moleque, mas quando eu voltar... venho brutalizar.) hehehe.

domingo, 4 de novembro de 2012

É.


                                 E ainda tem aqueles que não valem nada, nem fazem diferença pra ti.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Ritual.

Primeiro, o beijo no pescoço. Depois, lambe os beiços. Lambe meu ombro e sussurra que quer me comer assim e assado. Me abraça e aperta minha anca contra os culhões.
Vai descendo.
Esfrega as mãos nas minhas pernas enquanto lambe minha orelha direita. Aplica-me pequenas mordidinhas na nuca que me enlouquecem. Me prende e me espreme.
Me posiciona de bruços e arranca minha camisa. E bem devagar, passeia com a língua ao longo de minha coluna.
A cama já pega fogo e nossos corpos já estão a queimar.
Lambe e beija minha bunda , depois flexiona uma de minhas pernas na cama e aos poucos com beijos, vai subindo em minhas dobras até os beiços de minha bocetinha enlouquecida pulsante. Lambuza os grandes lábios 'dela' e ele endurece a língua pra enfiar entre os pequenos lábios e clitóris. Aí eu já começo a pedir-lhe a pica. 
Ele pede pra eu virar de frente. 
Ele tira a cueca.
Beija meus seios. Minha barriga. Meu umbigo. Desce até meu ventre salivando. 
Se perde entre minhas pernas. Foge de si e entra em mim.
Pensa com a língua. Age perfeitamente com ela . Lidera tão bem seus atos em meu corpo como um deus que sabe governar porque conhece o povo que criou. Me faz estremecer a carne enquanto lambuza-se de toda minha essência gloriosa. 
Janta meu corpo com pau magnífico em postura de continência, bastante sorridente. 
O delírio nos posiciona de quatro para que hajam explosões múltiplas de nossos gozos.
A terra treme , nossos corpos dançam, a magia da paixão aparece, isso não tem nada a ver com pecado , mas o diabo bem que gosta.

Ele gozou dentro de mim.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Enquanto isso:


na terra dos sonhadores, a body art está quase pronta.

"Quem espera que a vida, seja feita de ilusão , pode até ficar maluco ou morrer na solidão..."

Sou mais uma dessas sonhadoras que moram em uma cidade dormitório - Ananindeua. Há pelo menos 22 anos da minha vida, vivo pra essas bandas daqui. E sempre tudo o que eu precisava/preciso resolver, tinha que me deslocar pra o centro de Belém. E aí é que atinge aqueles picos maior de estresse em alguém. Porque é uma cagada ter que sair daqui: ter que sair muito cedo de casa pra embarcar nos ônibus sucateados e lotados, engarrafamento acabando com a nossa vida... e ao longo deste tempo, nada mudou. Inclusive, só piorou.
E meu sonho sempre foi morar pro centro de Belém, pois não precisaria pegar bonde pra ir pra canto nenhum (no centro, tudo é pertinho) dá pra ir andando. Mas eu e minha família não temos grana pra comprar nenhum terreno vazio que dirá uma casa pros lados de lá. Aí o sonho... "deixa pra lá."

Agora esse sonho vai lá pra casa do cacete mesmo, porque Belém está nas mãos de um partido que tem ideias de desenvolvimento para que a ELITE cresça como já disse em uma letra de um grupo de música "onde o rico cada vez fica mais rico e pobre cada vez fica mais pobre. E o motivo todo mundo já conhece é que o de cima sobe e o baixo desce" . O que é TENDÊNCIA, certamente. O PSDB é composto por turistas que tem o passaporte carimbado em Paris, Nova York, Japão, Alemanha..., que  comem, compram e se lavam nas lojas mais caras do mundo . São os maiorais , os belgas , os que sabem como dominar a mente dos inocentes. Os de "raça pura" de ideologia dominante, que a história revela essencialmente elitista. Um elitismo que despreza o feio, que ojeriza o mais pobre, que é indiferente as misérias humanas. E esse mesmo partido é que agora domina Belém do Pará e alguns estados mais do Brasil. 
Mana, eu só sei que 2013 nem começou e a EDUCAÇÃO já está de luto, já que a mesma não é prioridade, aqui na minha cidade. Amarelou no curral com o fulano que nunca foi pobre, cheio de propostas elitistas, "militante'' das privatizações, nunca frequentou o SUS, nem ao menos trabalhou na vida e ainda canta de galo pra levar a melhor em nome de um instituto que sua mãe criou. Um tucano que acha que é de raça pura, mas que tem dinheiro que foi eleito aqui.

É, talvez a população tenha comprado seu regresso (bem caro) e nem ao menos percebe tal façanha. Mas "deixa pra lá" né?! Ninguém vai lembrar do que foi prometido , já que não lembram de quem estava à frente do movimento contra a meia passagem e que agora este prefeito, vai querer acabar com os direitos dos idosos (ex servidores) aos institutos de saúde da prefeitura. Aí moleque, o bicho vai pegar pros velhinhos. 
Ainda mais com uma das secretarias (educação ou cultura) que será dada ao Jefferson Lima, o mesmo que proclama aos quatro ventos que "professor é vagabundo". E os concursos públicos? Mano, tá foda!
Pois é, mas não desejo um mandato ruim ao psdb, quero mesmo é que a cidade melhore, (mesmo tendo minhas dúvidas), que aumente nossa qualidade de vida, que os três SSS - Saúde, Saneamento e Segurança - emergenciais sejam mesmo bem atendidos.

Agora, sem nada pra fazer, o jeito é esperar o que virá.


Post Scriptum: Vossa excelência. Titãs.

"Sorrindo para a câmera
Sem saber que estamos vendo
Chorando que dá pena
Quando sabem que estão em cena
Sorrindo para as câmeras
Sem saber que são filmados
Um dia o sol ainda vai nascer
Quadrado!..."


domingo, 28 de outubro de 2012

Quando atingiu o limite da paciência.


Dos flagelos de toda realeza.

Sabe essa coisa branda que plana nos pensamentos depressivos alusivos de toda gente que proclama uma vida aérea? Essa coisa esquisita que desperta a solidão às vezes acompanhada da motivação...
É a neuração de todo plebeu e de toda aristocracia. É uma tal beleza que acompanha e embriaga toda voz de choro amarelo. Estraga a luz e as cores. É a mesmisse da coisa toda. Esse ciclo que se repete e a gente já sabe de cor o que tem pra acontecer, mas não sabe exatamente COMO vai acontecer. 
A coisa, invade o crânio macio e bom. Invade o corpo e a sala.
Invade a casa, a cozinha, invade a vida, a mente e mente pra ver se acredito. Se creio na canção de deus. Desse Deus que todo mundo fala que existe. Dessa vida absurda, miserável e real. Dessa estrada que todo mundo anda, mas que no final só são cinzas. 
E pra quê viver? Pra quê pensar? Pra quê sofrer? Ninguém se contenta.

É que tudo tem um prazo. Tudo é bonito por isso é finito. 
Nada é pra sempre, nem os fatos , nem as fotos. O dia escurece e a noite se ilumina... mas tudo é igual. É tudo chato. E tudo se esvai em uma canoa pra o fim daquele lago.
Aí é que a gente sente falta.
Mas eu sou do segundo decanato de touro, que é de luta. Não me satisfaço. Eu preciso de mudança na rotina, pra melhorar o humor. Pra melhorar essa vida vazia.
Eu traço passos, vivos os sonhos, moro na saudade. Vivo pra morrer.

E morrer tem um encanto: ciência da partida que ninguém sabe pra onde vai. 

É, talvez nada tem a ver com o que penso. Tem a ver com o que sou...
Essa morta desenganada que a vida carrega até não aguentar.


sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Males precoces.

Cuidei direitinho da tal planta do amor. Dei-lhe água , adubo, soprei-lhe canções de ninar, conversava, fazia companhia, mas na minha pressa de amadurecer-lhe um fruto, arranquei estupidamente ainda verdinho. 
Agora, o coraçãozinho está imaturo para a vida que eu não lhe preparei.

É a dor de um coração precoce!
=/

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Sol na barriga.

Acordei engolindo o dia, essa manhã quente, essa tarde macia.
E não quero que ninguém estrague a digestão!

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Aos 25 anos, eu já entendi 25 coisas certas.

* Aprendi que eu não devo esperar por ninguém pra amar, mas também não nasci grudada com ninguém.
* Devo amar e pronto! Sem dar dicas.
* Transar no primeiro encontro, não significa ser fácil. O desejo fala mais alto e foda-se. Basta se prevenir.
* Sexo é vida. Amor é arte. Paixão não mata. E tudo isso, fortalece o coração.
* Sexo é a única coisa que todo mundo arranja tempo pra praticar. Amor tá em fase de extinção. A paixão é doida demais.
* Aos 25 eu já sei o que é gozar.
* Aprendi que se o parceiro goza em 3 minutos, depois de uma penetração , é porque ele já está sem transar a pelos menos uma semana.
* Não existe traição o que existe é falta de comunicação.
* Ensinar a namorar não é comigo.
* O mundo não cabe mais nas minhas costas.
* Nada há de ser eterno. Muito menos amizades.
* Os costumes da minha adolescência estão ultrapassados, quando a filha da tua prima já tá sabendo pronunciar "porra" aos 2 anos de idade.
* Ser aprovada em um concurso público, me faria mais feliz do que minha faculdade.
* Mochilar pelo mundo é plano pra vida eterna.
* Só uma vez a menstruação vai te fazer feliz: depois de 3 ou 4 meses atrasada, quando resolve dar o ar da sua graça.
* Quero ser independente, mas no final da vida, a dependência de todos ao teu redor é lei.
* Aos 25 anos anos, eu não quero somente paz , amor e sexo. Quero um emprego, uma casa e um carro.
* Morar com os pais aos 25 anos , não é mais um problema e sim uma vergonha.
* É depois dos 25 que você percebe que falta pouco pros 30, 40, 50...
* Cacoetes dos pais são mais nítidos na gente, aos 25 anos.
* Sessões nostalgia, são frequentes quando encontramos familiares distantes ou amigos de infância.
* Filhos (humanos) ainda não entraram nos planos, nem marido.
* Não há nada que me prenda a qualquer lugar, pois não tenho raízes.
* A tendência depois dos 25 , é a seriedade chata. Eu não quero isso!

* E... 25 é um bom número, mas não é pra sempre!







segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Bora ajudar galera!

Ei galera, é o seguinte: a QUEBRADINHA ( rajada) é uma gatinha de um abrigo de animais daqui de Belém e está participando desse concurso pra ajudar os outros bebês do mesmo abrigo com 1 TONELADA DE RAÇÃO, ela ainda está em 13º lugar e precisamos fazer com que chegue ao 1º lugar. VOTEM e repassem. 

http://maxtotalalimentos.com.br/calendario2013/participante/kelly-feitosa-valente/

Obrigada!

Pode vir.



Senta aí, me dê a mão,diz que me ama e finge que tá tudo bem. Entra e limpa bem os pés antes de vagar nesse meu coração vagabundo!

Engoli tinta?


Tenho um mundo preto e branco, e um arco-íris inteiro no estômago! Acho que é por isso que eu sempre vomito  flores de todas as cores!


sábado, 20 de outubro de 2012

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Coisas que caem na garganta com gosto amargo, porém glorioso.

“De todo o escrito só me agrada aquilo que uma pessoa escreveu com o seu sangue. Escreve com sangue e aprenderás que o sangue é espírito."

Friedrich Nietzsche em "Assim falou Zaratustra"

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Todo mundo já foi feinho mesmo


E tem que se orgulhar de ter melhorado.

No retrato, na esquerda eu, no meio samantha e karine, na direita larissa.

O básico pra viver.


Eu sempre fui lisa, sabe?! Dificilmente ganhava mesada dos meus pais, por isso guardava qualquer moedinha que eu conseguia em um cofrinho e depois que tivesse pesadinho, abria pra comprar besteiras mesmo.  Eu guardava do troco do ônibus, dificilmente comprava qualquer coisa na rua e conseguia arrecadar um troco. (isso , antes de entrar pra o costume da bebida). Então, nunca tive de reclamar, porque na verdade , aprendi a ser uma consumista controlada e me conformar com o básico. E assim ia vivendo.
Quando eu pedia algo pra minha mãe, ela sempre dizia: "se der eu compro", e explicava que precisávamos  comprar comida, ao invés de desperdiçar com tal coisa. Ouvir isso , é um choque de "ei, te esperta que isso é futilidade". Ficava meio triste, mas entendia perfeitamente que não tinha condições naquele momento, e que se desse , no próximo mês, ela compraria a coisa almejada por mim ou minha irmã. E como éramos duas, meus pais tinham o costume de presentear-nos com a mesma coisa pra nós duas, geralmente de cores diferentes. E acredito que nunca nos faltou nada que nos fizesse infeliz.
Com isso, aprendemos a nos conformar com o básico mesmo. E eu acho mesmo, é que a gente nem precisa de tanto assim pra viver. Nunca andei nua pra reclamar de roupas novas; eu tinha algumas bonecas feinhas que sempre deu pra brincar; minha cama, meu quarto... Improvisava em tudo que era brincadeira. E esse 'dom' veio da minha mãe, que sempre nos ensinou que pra tudo, dá-se um jeito, exceto pra morte. Assim, tínhamos tudo na medida certa! 
Hoje , diferentemente das sobras da mesada que eu não ganhava, agora já ganho um dinheirinho dos meus dois estágios em colégios, e ainda vendo umas bugigangas de catálogos. Continuo lisa, é bem verdade, mas com o suficiente pra pelo menos uma cervejinha, um lanche na rua, uns bombons. O papo é que eu continuo naquela mesma vibe de quando eu era criança, sem muitas expectativas pra gastos desnecessários. 
O básico eu tenho: trapos, chinelos, comida, gatos, cachorros , amigos e a minha mente que de vez em quando cospe uma poesia.

Esse básico é o 'muito' que eu tenho!

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Receita.

Eu preciso de: 
-Umas generosas porções de revigorantes vitais;
-Toneladas de estímulos musculares e psicológicos;
-Um copo de chá de cidreira;
-Uma cartela de anti-tensão pré menstrual;
-Muitos relaxantes musculares;
-Meus gatos , comigo;
-E um coração maluco!


Pode ser?

Gatinha.



Quase não oferece sorrisos, muito menos simpatia. Tem olhar de ataque pouco discreto . Jeito de moleca sapeca , cara de maluca, um quê de esquisitice, uma sensibilidade de rosa, um encanto com seus espinhos. Um toque malícia com pitadas de açúcar. Brilha como a lua, tem uma elegância de artista e um ar sensato de cientista.
Ela é intensa, tem mania de sentir por completo, de amar por completo e de ser por completo. Ela tem aquele gosto doce de menina romântica e aquele gosto ácido de mulher moderna.
Talvez de passos errados, incertos e até infalsos, porque é livre.  E dentro dela tem um coração aberto que é sempre capaz de amar e de acreditar outra vez...


terça-feira, 9 de outubro de 2012

Total apoio.


*Recado de Lucas Rodrigo de 5 anos, morador de Icoaraci.
Via Facebook Edmilson Rodrigues.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Fugir...


                                          Eu quero mesmo é um pretexto sonho pra sair por aí.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Aí o coração apertou,lagrimou e falou:

Antigamente eu pensava que seria melhor eu nem ter existido nesse mundo estúpido e maldito, pra não sofrer pelas coisas da vida, pelas doenças, pelas paixões, pelos acasos, muito menos queria sofrer a perda da morte de alguém. Porque sinceramente eu acho que esta dor é a pior . É ela quem nos deixa aleijados da alma pro resto dos nossos dias. E eu só queria me ausentar desse sofrimento eterno. E eu sentia isso, antes mesmo de perder alguém próximo a mim. 
Até que em 22 de fevereiro de 2010 , uma menina próxima a mim morreu por infecção generalizada, depois de um parto difícil. Aquilo me deixou bem abalada, mas eu consegui controlar, talvez porque o tempo do parto até a morte duraram 21 dias e talvez meu psicológico tenha amadurecido uma ideia de perda.
Em 14 de março de 2010 um outro amigo veio a falecer por conta de um acidente de moto, e eu estava em Vigia ( na  época morava lá), quando minha irmã me ligou dizendo que o Marcelinho havia morrido. Recebi aquilo como um choque e que me deixou tão apática que eu não conseguia fazer mais nada, nem chorar. 
Em 15 de abril uma grande amiga, que era da mesma equipe de trabalho lá da uepa, morreu tão de repente que aquela notícia sim, chegou a mim como um tiro com um disparo lento, que eu podia sentir a bala rasgando minha pele, depois atravessando a estrutura óssea , depois a carne e parando no coração. Era como uma hemorragia interna que aniquilou minhas forças e embaçou minha visão para a vida. Eu não tinha mais vontade alguma de voltar pra Vigia, eu não tinha mais vontade de sair de casa, uma única vontade prevalecia: chorar.
E a mais recente perda foi dos bebês da mulher do meu primo, que estava grávida de um casal de gêmeos. Sexta-feira, a bolsa estourou e os bebês completados os 7 meses nasceram com complicações. A cirurgia demorou pra acontecer e eles estavam enrolados no cordão umbilical, isso ocasionou muita perda de líquido amniótico e entrou água nos pulmões. No sábado a menina morreu e hoje o menino. 
Aí os questionamentos e frustrações como ser humano começam a nos perseguir. Não entendemos porque alguém pode nos deixar pra nunca mais podermos vê-lo no auge dos seus 18 anos? Como pode uma mãe morrer no parto? Por que esta pessoa? Como pode pais enterrarem seus filhos? Porque bebês? Isso é castigo da vida? Por que comigo? Por que, por que? 
A morte se faz necessária, porque somos mortais, somos frágeis, somos pequenos, somos marionetes de alguma força/energia suprema que nos concebeu vida e suas leis naturais. E por sermos minúsculos é que cremos em um governo supremo e maior que nós.
É isso, somos parte da natureza que nos dá a morte pra conseguir a vida. Essa crença em qualquer coisa que seja superior é o que nos dá forças para continuarmos a viver e a pensar no amor que se têm pelo outro que se foi.
Mas eu não quero mais explicações. Sou somente grata pela convivência que eu tive com esses meus amigos que se foram, por mim e por eles, porque mesmo que os anos se passem, nunca vou esquecê-los e os terei comigo em minhas melhores lembranças. Quanto aos bebês (bonequinhos puros) tão indefesos, estarão resguardados nos lugares mais especiais que há, porque esse mundo impuro não era pra eles.
E hoje, a minha vida tem mais sentido e meu apreço por todos à minha volta é infinito. Por isso, não choremos pela perda dos que se foram, agradeçamos que eles tenham vindo para nos ter acendido a esperança do amor incondicional e fé por um lugar melhor.

Saudades pra mover o coração.

domingo, 30 de setembro de 2012

Talvez sejam sintomas de falência múltipla dos órgãos.


Eu não sei direito o que tá acontecendo com o mundo ( ou se é somente com o meu mundo), mas tenho a sensação de que as coisas estão cansando facilmente minha alma e minha paciência se esgotando em segundos.
Tudo parece estar completamente errado, e em uma mesma monotonia que há séculos parece existir. Tudo tá tão sem graça assim, mesmo? Talvez isso sejam os sintomas dos vinte cinco anos pouco vividos e já cansados nessa carcaça desbotada e um pouco cansada das coisas cotidianas.
É, acho mesmo é que meu corpo padece de cansaço do mundo, enquanto as mesmas coisas são ditas na tevê, e as mesmas pessoas se divertem com as mesmas programações que as fazem amanhecer por aí pelos bares. E tu gira ao redor das mesmas reclamações, das mesmas brigas, das mesmas lutas e nada muda!
Cansei! Cansei de tudo que tenta parecer novo e na verdade é somente uma cópia feita em outras palavras do que já foi produzido no século passado.
Os beijos são os mesmos, os abraços são vão, as promessas são esquecidas. Nada é palpável, nada é confiável. Tudo tende a fragmentar-se e esvair-se pelo ralo do banheiro, porque nada mais parece ter valor. Cansei! Cansei da minha vida... e eu acho que até cansei de mim.
Mas talvez o problema seja todo comigo. Sou eu que não estou conseguindo ouvir e ver a poesia diária das árvores e do céu.

...E esperar um fim sem sofrimento é a minha esperança.

Um questionamento: "quem sou eu pra reclamar de sofrimentos da vida, se eu só tenho 25 anos e nem sequer tenho filhos e preocupações que envolvam os mesmos"?

Quem sou eu?

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Corpo fechado , porém com brechas.




Ok, talvez tenham me jogado por engano uma urucubaca das mais brabas, mas vou acreditar mesmo é no meu médico, que disse que a minha alimentação tá toda errada,  por isso preciso fazer uma dieta e regular meu triglicerídeos e colesterol que estão demonizando meu corpo e me presenteando com uma enxaqueca fuderosa. Mas eu tô vivendo....
Ontem meu amigo Sodré que nem é disso, me ofereceu uma reza de São Francisco de Assis:



    • "Eu que não creio (mas que não me desatarracho desta marca franciscana)
      ofereço esta belezura (que me reapareceu na vida, ora veja, num casamento que fui, sábado passado) para minha amiga Ly La que sei que não crê
      mas ama e ama, ama, ama, ama..."


      E não é que a música é linda!

Relaxa, são coisas da vida. Não?!



Isso é tipo : "alguma coisa lá da depressão."

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Antes que eu me esqueça...



Tem um sol de mentira a cada esquina, precisando do teu sorriso verdadeiro.

Sobre um aperto no peito.



"Talvez espante ao leitor a franqueza com que lhe exponho e realço a minha mediocridade; advirta que a franqueza é a primeira virtude de um defunto.
Na vida, o olhar da opinião, o contraste dos interesses, a luta das cobiças obrigam a gente a calar os trapos velhos, a disfarçar os rasgões e os remendos, a não estender ao mundo as revelações que faz à consciência;
e o melhor da obrigação é quando, a força de embaçar os outros, embaça-se um homem a si mesmo, porque em tal caso poupa-se o vexame, que é uma sensação penosa e a hipocrisia, que é um vício hediondo.
Mas, na morte, que diferença! que desabafo! que liberdade!
Como a gente pode sacudir fora a capa,deitar ao fosso as lentejoulas, despregar-se, despintar-se, desafeitar-se, confessar lisamente o que foi e o que deixou de ser!
Porque, em suma, já não há vizinhos, nem amigos, nem inimigos, nem conhecidos, nem estranhos; não há plateia.
O olhar da opinião, esse olhar agudo e judicial, perde a virtude, logo que pisamos o território da morte; não digo que ele se não estenda para cá, e nos não examine e julgue; mas a nós é que não se nos dá do exame nem do julgamento.
Senhores vivos, não há nada tão incomensurável como o desdém dos finados.

Machado de Assis, in Memórias póstumas de Brás Cubas

Um final de domingo no P.U da Pedreira.

E como acontece cada merda comigo, esse domingo foi o dia, mas dessa vez foi bem desesperador, (brincadeiras à parte) porque eu achei mesmo que eu fosse de vez deste mundo pra o mundo eterno da terra seca.

Começando pelo começo: no sábado à noite fui assistir a abertura do amazônia doc no cine estação, com o lançamento do filme "Juliana contra o Jambeiro do diabo pelo coração de João Batista"do cineasta Roger Elarrat.
De lá, eu , Maruzo, Raphael, Flor, Ícaro, Gustavo e mais alguém que eu não lembro íamos assistir uma peça no sesc, mas demos o azar de já estar lotado. Então a Flor deu a ideia de irmos conhecer o "bar oito" da Karllana Cordovil que abriu recentemente e que é alí no canto da Doutor Moraes , esquina da José Malcher.  No nosso caminho senti uma dor no pescoço , mas mesmo assim eu continuei a andar. Lá no bar, bebemos dois litrões, comemos uma coxinha de jambu, MARAVILHOSA, e a dor já tava enchendo o saco, daí vim embora. Já no bonde, eu senti dores muito mais fortes, a partir daí não conseguia mexer o pescoço. Cheguei em casa, tomei um relaxante muscular e dormi. Acordei no domingo umas 8h30 com dores tenebrosas muito piores, aí minha mãe me deu um remedinho que até me fez dormir de novo e acordei só 11h , meio anestesiada. Então como eu achava que estava bem, resolvi ir até a casa da minha avó com meus pais. Lá, senti poucas dores. Aí foi pela noite, voltando pra casa que a coisa piorou.
Dores muito estúpidas não me conformavam em qualquer posição. E pra piorar, minha mãe mediu minha pressão que estava 14 por 10 e nem após um chá de alho melhorei. Foi aí que fomos parar por volta das 23hrs no posto de urgência da Pedreira. (E como meu pai trabalha de motorista lá, já conhecia a galera toda.)
Lá no posto, a minha pressão tava na casa do caralho com 15 por 11, daí a médica me deu logo duas injeções na veia e uma na bunda. Senti os efeitos do remédio me matando por dentro, piorei um pouco, visão turvou, quentura pelo corpo, mas depois de uns 30 minutos mais ou menos foi passando a dor. Voltamos pra casa com a certeza de que era um torcicolo e não Meningite, (como meus pais já estavam cogitando e se desesperando...) Enfim, fui medicada e hoje pela manhã tomei a porra de um medicamento que me provocou sériso efeitos colaterais com inchaços e formigamentos nas mãos e pés.
Agora já tô melhor e não foi mesmo dessa vez que fui para terra dos pés juntos.

Uma boa semana à todos.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Programação.

Feira do livro -Belém /PA 2012.

http://www.secult.pa.gov.br/files/Programa%C3%A7%C3%A3o%20XVI%20Feira%20_%2014_09_2012.pdf

Isso deve ser falta do que fazer.

Eu não sei o que as pessoas ganham fazendo fofocas da vida dos outros. Sério , olha... Égua!

Daí tu passas um tempão sem ver aquelas pessoas queridas e que tu tens tanto apreço e, quando tu as encontra os únicos assuntos percorrem por: "menina, tu soubeste que a fulana é mal falada que só lá pra putaqueopariu ... ; Tu sabias que a fulana e ciclana são umas cobras, falsas que nem prestam...!? ; Mana, te benze depois de falar com essa aí... ; a beltrana só quer se dar bem em tal coisa..." ¬¬'
PORRA doido, não dá pra falar de coisas legais ou coisas chatas que aconteceram, sem as fofocas?! Eu me sinto mal pra caralho tendo que ouvir esse tipo de coisa. Eu tenho a impressão que as pessoas não estão mais vivendo suas vidas. ( E eu não estou querendo aplicar uma  lição de moral e demonizar essa gente. Mas do jeito que falam até parecem que fazem por prazer, sei lá... SARAVÁ! 
É aí que eu percebo o quanto estão vivendo em um mundo pequeno e mesquinho como os dela. .E que eu não sou ninguém pra lhe ensinarem sobre como serem politicamente corretos ou a não praticarem esse tipo de coisa. Isso é uma coisa de caráter. Um costume que nós mesmos podemos dosar e rever se o que estamos fazendo é algo justo, digno pra ti mesmo. Mas o pior é que sempre tem um despacho desses no nosso caminho.
O engraçado é que essas pessoas são as mesmas que dizem acreditar em deus, em pecados e tudo mais. (Será que esse deus é tão liberal assim?)
Pregam tanta coisa sobre a religião deles que com essa prática, eu sinceramente não acredito em uma virgula que falam sobre suas crenças. 

Mas mana, se isso for falta do que fazer , é só me dizer, que eu tenho uma porrada de missões pra terminar e que eu posso muito bem dividir com quem tá desocupado. 

Falei!



Seria útil, não?!

Eu acho que um fumo para despertar o BOM SENSO em algumas pessoas, seria a salvação das mesmas. Eu tava até tava pensando em fabricar com umas ervas daqui da rua, pra ver se funciona. Seria a minha boa ação pra vida.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Partes: O Gladiador.

É monstro cavernoso e malino, porém com músculos de aço bem definidos para movimentos de 'vai-e-volta', nas mais diversas posições possíveis. Possui postura ereta de uma formosura viril. O invertebrado galante é taludo e bem esperto , tem o couro delicado de pele fina e poros esboçados lacrimejantes. É roliço e bem quisto em uma dança pela conquista. Ora mostra-se de cor parda, ora roxeado... ora aparece com sua melhor cor: rubro. Em suas conquistas pode parecer mal educado ou abusado, pois tem facilidade em esfregar-se nas moças , por aí... porém anda bem cheiroso e quando bem sucedido faz questão de mostrar ao companheiro(a) em questão.
É um magnífico mostro cavernoso e cheio de malícias. Tem cabeça bem definida, por uma circuncisão e isso lhe permite melhor desenvolvimento nas suas façanhas de malandro. Luta por uma causa que lhe faz viver: a paixão. O moço, guarda todo amor, abaixo dos pés, em uns saquinhos que carrega consigo. E quando eufórico, esguicha todo esse amor, que mais parece água benta quente e ácida, de sabor travoso e aroma fertilizante. 
Reflete sempre boa saúde e incorpora as boas impurezas da vida, por isso aventura-se em um caos longitudinal. É um fornicador de bons costumes, serviçal , astuto, teimoso e veste-se de finos trapos de vênus , em trabalho...
E enquanto serve, gritam-lhe: "fode, fode a bocetinha, fode o cuzinho...fode mais."

domingo, 16 de setembro de 2012

Agora todo mundo faz aquela cara...


...de retardado e vai emitir os sons menos identificáveis do mundo!

ownnnnnnnnnnnnnnnn...

Energia pra um domingo recheado de tcc.



Tu saca que eu entendo um tiquinho da poesia da cozinha?

Uma lasanha de soja e berinjela, recheada com jambu, pimenta e queijo.

sábado, 15 de setembro de 2012

Surtos internacionais.


Égua... hoje olhando as estatísticas daqui do blog, pela primeira vez vi que as maiores visualizações do dia, não eram do meu país. Foi da Rússia, olha que honra!
Só devo os meus agradecimentos pela minha pouca vergonha em atualizar o mundo com os meus frequentes surtos. 
Sintam-se à vontade!


sexta-feira, 14 de setembro de 2012

O mundo é imaturo ainda...

"Ei manooo, vou te dar o papo, não inventa de contar das tuas experiências malucas pra essa gente quadrada , de cabresto e que não tem senso, principalmente se tu perdeste a virgindade e começou a fumar com 12 anos, a beber com 13 e era campeão de tiro ao alvo aos 15 anos. "

Tu tá ligado?

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Vontade de morrer em 3,2,1..

Palavras chaves: Culhão gordo e cabelo arruinado.

-Oi, bom dia?!
-Cala a boca, mané!

É mais ou menos assim que o meu dia começa! 

E... não. Eu não sou mal comida! É que acordar todos os dias às CINCO HORAS DA MADRUGADA para ir de carona com meu pai à aula, fugindo do engarrafamento infernal de todos os dias, não é sadio para o meu humor da minha alma.
O papo é que eu  moro longe paracaralhome escondo na região metropolitana de Belém, em Ananindeua, no bairro do Distrito Industrial que fica a meia hora do centro da cidade, não fosse os funestos engarrafamentos da BR-316, que impressionantemente supera-se a cada dia em uma nova piora, doido. É um desrespeito com a população... 
Mas sim, por isso tenho que pegar essa carona e sair às seis horas de casa pra ficar na metade do caminho (Entroncamento) e de lá, fazer A missão de pegar um busão que vá pela Pedro Álvares Cabral e poder chegar pelo menos umas sete e meia na uepa, senão, meu amor... saindo de casa depois desse horário, nunca mais eu chego lá. E quando eu perco essa carona? Tenho que ir andando (uns 10 minutos) pro final da linha do distroba e fazer outra missão de ficar em uma fila que a galera faz, pra poder pegar o Distrito lenda ver-o-peso... aí mano, eu chego destruída, descabelada e mordida COM A VIDA por causa dessa viagem, lá na uepa. E muitas vezes, o professor não vai! Égua, aí vontade de morrer vem assim...
Daí que eu ainda tenho que esperar até o meio-dia pelo menos, pra comer uma comida escrota de lá  e ir pra o colégio que eu dou aula , lá no bairro de Canudos... Aí , lá pelas 16h30 saio do colégio e espero o maldito busão lotado, pra variar  e demorar mais uma hora e meia no engarrafamento , até chegar em casa, morta!

Mas beleza! Alegria de pobre, sempre será missionária mesmo, porque pra poder conseguir alguma coisa legal lá na frente, tem que se foder um pouco pra dar valor...

É isso...

domingo, 9 de setembro de 2012

Aguenta poesia. Agora aguenta coração!


Meu coração não é de papel. Pode até ser meio rabugento , um pouco frio , é um pouquitito louco, mas é carregado de sentimentos bons que às vezes até me surpreende.
Outro dia mesmo, me fez chorar por alguém que o queria...

No quarto!

Sou a favor da ordem, mas minha essência é da desordem, incontestavelmente bagunçada!

Domingo sangrou de saudades.



Do coração de Vigia de Nazaré!
Daqueles passos incertos , da cabeça fria, da amizade macia, da alegria do kit-net quase vazio...
Daquelas vozes, daqueles paralelepípedos das ruazinhas, daquelas conversas banhadas de poesia e vinho.
Do amor, da saudade de vocês!

No retrato: Danuta, Aldy, eu e Rafa.

sábado, 8 de setembro de 2012

Poli-forte-ana.


Essa semana tivemos um grande susto com a nossa pequena aí. Ela caiu do primeiro degrau de cima da escada com o pai e foi parar na UTI, e depois de exaustivos exames, os resultados foram bons. Não houve nenhuma fratura e nenhum coálogo pela cabeça, mas ainda está assustada e não reconhece o pai, não quer comer direito e anda um pouco sonolenta. 
Só peço pra que todos torçam pela nossa pequena, porque mesmo ela sendo forte, precisa do pensamento positivo coletivo de todos. 


Quase hippie.



O que rola é que eu tô tentando conseguir uma grana extra e estou vendendo filtro dos sonhos dos mais variados preços e tamanhos. (Garanto que são baratos.)
Também tenho alguns cordões com pingentes de muiraquitã feitos de cerâmica e madre-pérola. Se quiserem é só encomendar ou ligar ou mandar e-mail... 



msn: laila_asc@hotmail.com
Fone: 88419554 / 80326010

Bore?


sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Deleting...

Para fim de conversa, os dias terminam aqui e agora. Um adeus seria simples, mas fique mesmo com o cheiro e calor das nossas conversa. Lembre de nós como dois parceiros e não se esqueça que talvez um dia nos encontremos por aqui , por aí... no espaço, em outras vidas.
Se encerram ciclos e começam outros. 
Foi bom enquanto durou!

Adeus facebook!



P.s Contatos laila_asc@hotmail.com e lailamaiac@gmail.com

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Fazendo 'aloka'.

                         
                                                Julho-2011 / GO.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Só pra começar a semana...


Poeminha do contra

Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!

Mário Quintana.



[...E nem é do contra. Vai de rente à nossa poesia diária.}

Mudar, mu-dar, mu.

Vou começar a melhorar esse espaço por aqui. 

sábado, 1 de setembro de 2012

Antes que alguém me re-invente, eu vou tratar de me re-desenhar sozinha.



Vou pintar no meu quarto céus e florestas.
Quero os mais belos rios. E peixes livres nos lagos.
Quero todos pássaros (só não sei como fazê-los cantar.)
Quero as mais diversas espécies de sapos , macacos, jacarés, cobras...
Cadeia alimentar completa. Mas sem humano nenhum...
Serei dona e não deixarei ninguém pintar nada por cima!
Aqui, ninguém será escravo.
Só será feliz!

Da série eu vou te matar.

E mesmo que você tenha pinto pra sustentar e tenha que cuidar de uma casa sozinha, e tenha que trabalhar brutalmente pra isso, ainda sim as pessoas não te respeitam. Imagina eu, reles menininha indefesa, estagioescrava de duas escolas públicas, quase formada em letras, metida a artesã que sofre de enxaqueca e gastrite... NINGUÉM me respeita nesse lugar. E o pior é que eu sempre tropeço nesses vampiros de carteirinha vindos diretamente do inferno. 
Mano , mas é impressionante a quantidade de vezes que eu esbarro nesses exús aleijados por aí, e essa semana, não foi diferente...Acontece nas piores horas, justamente quando eu comecei a fazer minha pesquisa de campo do tcc. Pois bem, escolhi o colégio que eu estudei e trabalho para fazer minha pesquisa, e preciso fazer entrevistas com professores e alunos. E pra fazer tudo direitinho eu levei ofício pela tarde, entreguei à vice para assinar e ela me devolveu . Daí a noite eu tinha que voltar pra falar com os professores que poderiam participar do trabalho. Chego no portão, e falo com o porteiro sobre o que eu faria e ele me deixou entrar só depois de ver o ofício, beleza! Chego na secretaria e  encontro uma cara de cu que deve ser alguma técnica de lá, falo a mesma coisa que eu falei pro porteiro e ela diz com a voz mais nojenta do mundo: "Olha , eu não sei tu vais poder, por causa dessa tua bermuda aí...Peraí que eu vou chamar a pedagoga!"  Filhadap... A mulher veio de lá na mais pura educação, (diferente da cara de cu) e me tratou tranquilamente. Me deixou falar com os professores sem restrições. Daí no outro dia, eu volto de manhã pra falar com os outros que eu iria entrevistar. Chego na secretaria e pergunto que horários e dias eu posso encontrar tais professores por lá, aí uma demônia fugida do inferno, que sempre me vê por lá ministrando aulas, diz:"Quem és tu?" DESGRAÇADAMALDITA.  "Tô fazendo meu trabalho de tcc aqui e preciso entrevistar os professores", e ela, toda bruxa dos pés a cabeça, manda que eu sente em um canto lá pra eu copiar o horário...  Saí de lá espraguejando pra sempre!
No outro dia (quarta-feira) , eu estava chegando em casa, umas cinco horas da tarde, logo depois de um toró daqueles que recolhe todas as almas penadas para as suas casas. No canto da rua de casa, me aparece um demônio e de moto diz: "Ei, passa o celular e não corre." Aquilo foi como se ele tivesse dito CORRE! Égua, pense que eu criei asas nessa hora, corri, corri, corri e gritei ladrão, ladrão! E eu olhei pra trás e o imprestável não saía do lugar. Eu só pensei que ele poderia voltar pra vir atrás de mim. Fiz o maior escândalo na rua, mas não deu tempo de ninguém sair a tempo de irem atrás do desgraçado.Daí dois vizinhos saíram na rua, mas o bandido já tinha ido. Eu entrei em casa e me descontrolei em chorar... Mas é claro que eu não recomendo ninguém a fazer o que eu fiz. Só foi o meu impulso...
 =/

Com tanto demônio solto ainda tem gente que diz que o inferno é em outro lugar ou não entende a minha falta de paciência do mundo né?!

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Ei

Venho encarecidamente e com a cara de pau que eu tenho , pedir que vocês possam me ajudar e votar em uma foto minha, pois estou participando de concurso o qual o prêmio é uma máquina fotográfica.
Saquem a fotinho...

https://www.facebook.com/Phootobrasil?sk=app_307371382695281&app_data=eyJpZCIgOiAxMTg5NiwgImRhdGEiIDogeyJwaG90b0lkIiA6IDMwNjg1fX0%3D

*Eu podia ta mantanO, eu podia tá roubanO, me prostituinO, mas não, tô aqui... pedindo.
=]

Da série gnomos perdidos.


domingo, 26 de agosto de 2012

Aquela hora em que a esperança se esconde e plana somente a ideia de desistência.

Essa semana o choro ficou engatado na garganta. A neuração maior pra causar tamanho desespero foi sobre o tcc... Uma professora ( que é a coordenadora de tcc do 4º ano) quase causou  um suicídio em conjunto  na minha sala. Já chegou 'botando pra foder' com a pressão psicológica dela e deu logo o BÊ-A-BÁ: "Gente, vocês terão que entregar o trabalho pronto, dia 15 de novembro. ( Sendo que no início do ano , nos deram o prazo de 30 de novembro...)PIREI e a cabeça pesou, porque meu trabalho ainda nem foi feito a parte do campo de pesquisa.  
Aí a vida fica mais bagunçada ainda, porque ainda tenho SEIS disciplinas com UMZILHÃO de leituras pra terminar e mais estágio obrigatório e mais trabalhos pra sustentar essa vida de estudante lisa. Sacaram meu desespero pulsando no sangue, pessimismo em alta e um pensamento cutucando os miolos: "será que eu vou me formar?"


Tôco medo!

Prender no peito...


...não o tempo , nem o seu coração, nem a gente.

Quero prender a saudade de ti com uma chuva de beijos.

Foto: Débora Flor.

domingo, 19 de agosto de 2012

Rito da madrugada.



Foto Via : ( i-will-call-you-sir)

A criatura, libera um odor adocicado e de retrogosto amargo ou azedo, que entranha em minha carne brutalmente pelos dias de sol e chuva. Despeja sobre mim , seu mel e eu me delicio.

Cheira o pescoço. Dá-me um beijo molhado nos ombros. Esfrega a barba ao longo de minha coluna e desperta-me com os dentes mordiscando minha cintura. Então, lentamente abro as pernas e dou passagem  para as mãos suadas acariciarem minha boceta quentinha molhando a calcinha.
Me excita com o suor melando toda minha costa nua. Com calma acaricia minhas laterais. Rodopia em meu corpo, lambendo e massageando-me os seios já endurecidos e prontos para serem chupados, ninados e adormecidos. Desce lentamente pela barriga aplicando beijos suculentos, descobrindo os grandes lábios enrijecidos e que choram de prazer. Os dedos quase se perdem enquanto ajudam a abrir mais a boceta pra língua entrar até o fundo e transformar nossos corpos em uma só entidade púrpura.

No chão, ele me chupa. Suo frio e me aqueço com seus braços.
Me mastiga. Me resfrio e sobrevivo!
Me engole.  Eu me sacio. 
Me enfia o pau e eu me desespero. Me fascino e enlouqueço.
Me rouba toda energia. Me suga todo o gozo.
Me acalma. Me protege.

Deita, me faz dormir. E depois... acordar pelas madrugadas.




sábado, 18 de agosto de 2012

De dentro, a saudade.

"Flores pelo mês.

Um cheiro pelo tempo.


Abraços pela tua ausência.


Beijos pela poesia de todo dia.


E priprioca pelas lembranças."

"E no meu quarto se faz verbo de amor..."


"...A mim me importa, Dionísio, o que dizes deitado, ao meu ouvido
E o que tu dizes nem pode ser cantado
Porque é palavra de luta e despudor.
E no meu verso se faria injúria..."

Hilda Hilst / Musicada por Ângela Rô Rô.

Missões do fim de semana.

# Aula e inglês.
# Ler : Reinações de Narizinho do Monteiro Lobato; Terminar  o livro " Chove nos Campos de Cachoeira! do Dalcídio Jurandir; Três contos do Inglês de Sousa; Dois contos de Marques de Carvalho; Leituras pra base da análises dessas obras acima; Correção de redações;


#Textos e textos...

Oi, cadê vida pessoal?

Da série sem paciência com cantadas.

Estava com meu corpo aqui semi-morto , hibernado na cama, compenetrada na ressaca e dor de cabeça que a noite de ontem me sedeu , quando me lembrei de uma situação que a capeta da minha irmã não parava de tirar sarro da minha lata essa semana, quando contei-lhe sobre uma cantada de um fulano que lançou-me sentado ao meu lado no busão, outro dia. 
Eu estava sentada lá no final,  último banco do lado direito do bonde, quando o dito-cujo sentou-se ao meu lado. E eu estava mexendo no meu celular, mandando uma mensagem pro meu amigo que havia marcado comigo um cinema. Daí esse cara, em uma determinada hora me perguntou:

"-Você é da Universidade Federal?
-"Não , não."
-" Ah, porque eu acho que te conheço de lá. Teu rosto não é estranho. Teu número é tim?"
-"É sim."

- "ME DÁ?"
-"PRA QUÊ JÁ?? Não não. " 
Vomitei! Ê!

=O Wtf?

O cara foi tão tosco e direto que eu só tive reação de responder negativamente em tom desagradável . Gente, vê se pode?!  Isso não funciona comigo. Sou toda cabreira. Ainda mais com um doido desses...

É engraçado como algumas pessoas 'paqueram' (isso é não é do meu tempo, é de antigamente). E que há um tempo atrás pra haver uma aproximação, eu ouvia : "Vamos sair hoje?"; "Vamos ao cinema?"; "Vamos à praça". E hoje as coisas e tão bem mais informais e descompromissadas, eu só escuto: " Bora sair pra beber, só nós dois?"; "Bora alí, fumar e etc?"; "Meus pais viajaram,  a casa tá livre. Vem pra cá pra trocarmos um papo." " Você é casada?"

Moral da história: eu nunca aceito de primeira, se eu não conheço a pessoa. 

Gente, por favor. POR FAVOOOR! Eu não sou nenhuma gostosa ou cu doce pra não aceitar convites como esses, mas com tanta violência por aí, não sou gala-seca pra aceitar assim... É que não me arrisco à ir pra algum lugar fechado ou não com um completo estranho. Preciso muito das " pré eliminares" para poder obter alguma confiança no sujeito. 

E isso demora um pouco!

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Dos versos de Vinicius.

TOURO (de 21 de abril a 20 de maio) O que é que brilha sem Ser ouro? -
A mulher de touro!
É a companheira perfeita
Quando levanta ou quando deita.
Mas é mulher exclusivista
Se não tem tudo faz a pista.
Depois que dona de casa...
E a noite ainda manda brasa.
Sua virtude: a paciência
Seu dia bom: a sexta-feira
Sua cor propícia: o verde
As flores do seus pendores:
Rosa, flor de macieira. 




Missões provisórias.

Enquanto todo mundo volta ao batente, começaram as férias pros meus pais. Tudo bem, eles mereciam mesmo... Trabalham muito e quase nem se divertem. Aí, dessa vez minha tia que mora em Manaus presenteou-os com passagens de ida e volta pra passar 12 dias por lá. Bem, ficamos abandonadas por esses dias. Ê! Mas minha mãe pensou em tudo, ou quase tudo pra ficarmos amparadas.Nos deixou toda a  nossa herança : comida congelada, uns trocados , ovos, as cadelas e gatas, a casa, o carro... 
E é claro que rolou uma reuniãozinha por aqui: amigos, dorgas e rock and roll. Mas foi bem light, sem gente vomitando ou gente quebrando as coisas. Bebemos até umas 5 horas da matina, conversamos e rimos muito.
E eu como mais velha que a preguiçosa da minha irmã (diferença de um ano e 8 meses) tratei de ser uma boa dona de casa. Colocando a comida das bebês daqui de casa na hora certa, remédio e leite da Laurinha rigidamente sendo mantidos. Limpeza pela casa. Só a comida que eu não tenho muita vocação (a não ser que eu esteja bem disposta) , mas como sempre tenho preguiça, comíamos mais ovos do que sei lá o que.
E hoje meus pais estão voltando e a folga missão toda, termina. 



sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Eu podia ...

Eu devia ter te avisado do meu jeito torto , das minhas indecisões , das minhas mudanças de gênio repentinas, da minha falta de sensibilidade. Eu não devia ter jogado todo o meu charme pra te enfeitiçar. Eu nem devia ter te dado meus melhores beijos ou te abraçado forte apertando teu peito contra o meu. Quase te mato de tanta poesia alegre. Eu não devia ter te iludido com minha hiperatividade e meu timbre enérgico. Eu fiz todas as coisas, empolgada com a tua paciência. Encantei-me com teus toques leves , tua voz passiva, teu carinho, teu cheiro, teu pulsar... É que o vazio do meu coração te enxergou e não se controlou...
Agora eu não sei desfazer nada disso pra parar de te fazer sofrer.
 Eu só devia ter feito menos do que eu fiz. Mas eu não podia prever nada disso e fiz tudo isso.

=/

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Às vezes eu desejo nem ser mulher.

Se tem um período que realmente eu não gosto de passar é na "primavera feminina" (fértil).
O problema nem é exatamente com a hemorragia que elimina o endométrio de dentro de mim. A questão que precisa ser quitada aí é esse martírio contraindo o útero, irradiando mau humor e causando  dores extremas, que até entedia a morte. 
 Talvez possuir um pinto seja menos sofrimento, não?

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Volta às aulas.


Besta.


Me deu uma vontade de colher poesia madura do pé de fruta rosa do meu quintal. Mas eu descobri que ainda não está na hora. (Tem que esperar amadurecer o coração...)

domingo, 5 de agosto de 2012

PUTAQUELAMERDA!


"O contador de histórias" é um filme de um triângulo perfeito EMOCIONANTE-REAL-FODA.
Trata-se da trajetória real do pedagogo, escritor e contador de histórias Roberto Carlos, (mas não é o cantor, tá gente?). O cara foi interno da Febem, menino de rua e que depois de muito lutar com a vida, virou um homem bem sucedido, pai adotivo de um bocado de crianças, educador permanente para a cidadania e provou que há possibilidades de mudar sua realidade. Mas até acontecer isso, o filme remexe com toda a tua consciência e te faz perceber que não tem nada de errado com a tua vida. Que tu sempre fostes alguém que tiveste tudo de melhor e que nada foi tão sofrido assim... Uma lição de vida!
E essa é uma das cenas mais marcantes pra mim, porque é quando a mãe dele o escolhe pra deixá-lo na Febem depois de ver um comercial do governo glorificando a Fundação, por isso ela pensa que aquele lugar seria o melhor pro filho caçula.
O menino com 8 anos na época, fica desesperado correndo no corredor, acompanhando a mãe ir embora e sem entender o por quê dela está "esquecendo" ele alí.
Assistam...

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Música pra o fim destas férias.


Mapa-Múndi

Thiago Pethit

Me escreva uma carta sem remetente
Só o necessário e se está contente
Tente lembrar quais eram os planos
Se nada mudou com o passar dos anos
E me pergunte o que será do nosso amor?
Descreva pra mim sua latitude
Que eu tento te achar no mapa-múndi
Ponha um pouco de delicadeza
No que escrever e onde quer que me esqueças
E eu te pergunto o que será do nosso amor?
Ah! Se eu pudesse voltar atrás
Ah! Se eu pudesse voltar.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Doses de mim.



Válvula.

Cai o dia. A lua escapa.
Cai a noite. O Arco-íris me encaminha.
Um gato que brinca de caçador.
A nuvem cria passos pelo céu em chamas molhadas.
E o sol só vive em mim... 

O tesouro é o sorriso. É ele que cega a dor.

Só pra vocês saberem...

Quando eu demorar a aparecer por aqui, ou  tá rolando umas coisas muito chatas na minha vida ou tá rolando algo bem legal. 
Pelo último sumiço , as coisas estavam bem tranquilas por isso estava ausente...

Mas agora estou de volta... tagarela mais do que nunca. 
=D

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Relato de despedida.



A última despedida tinha um ar de malícias , mas sem inovação:

"Reacendia-me à vida toda vez que havia uma separação. Muitos beijos e abraços. Nada de adeus!

Reabastecíamos nossos corpos com lágrimas de prazer, sem desespero nenhum, mas muito amor.
Ele, me estonteia a carne com os dentes ágeis. Seus lábios quase não desgrudavam da minha pele que lateja, sua alma grita com fome do meu leite grosso e meu calor. 
Me banha como gato ao me despir. Têm a luz que ressuscita meu sorriso e afiadas cerdas que aquecem meu sangue enquanto passeia apressadamente com a língua por minha boceta suada, eriçando meu clitóris e derramando em meu ventre sua saliva fervente. 
É uma despedida que nos anestesia com a doce mistura de nossos gozos enquanto nossos corpos entram em fusão. 
Me fode com perfeito ar de saudade. Hipnotiza-se com meu olor, me chupa com medo de me perder eternamente e me faz multiplicar orgasmos a cada posição . Me encaminha às nuvens , ao enfiar todo o pau enquanto me postava de tronco flexionado. Come meu cu tão deliciosamente que me fez esguichar jatos de gozo. 

Ele é meu alucinógeno e eu, o calmante dele. "

Até logo , até quando eu voltar...

Seguidores